..Header { text-align: center; ; tags ..Header { text-align: center; ; tags ..Header { text-align: center; ; tags ..Header { text-align: center; ; tags ..Header { text-align: center; ; tags ..Header { text-align: center; ; tags ..Header { text-align: center; ; tags ..Header { text-align: center; ; tags ..Header { text-align: center; ; tags ..Header { text-align: center; ; tags ..Header { text-align: center; ; tags ..Header { text-align: center; ; tags ..Header { text-align: center; ; tags ..Header { text-align: center; ; tags ..Header { text-align: center; ; tags ..Header { text-align: center; ; tags ..Header { text-align: center; ; tags ..Header { text-align: center; ; tags ..Header { text-align: center; ; tags . -->

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Dia Nacional dos Quadrinhos

30 de Janeiro

Ao lado da televisão, do rádio, do cinema e da imprensa, as histórias em quadrinhos tornaram-se uma das mais importantes formas de expressão.
Depois de conquistar o público infantil, elas foram invadindo diversos gêneros:
Aventura
Ficção científica
Terror
Crítica social
Etc.
Quadrinhos
A primeira revista em quadrinhos publicada no Brasil foi O Tico-tico, em 1905, dedicada às crianças. Os primeiros números traziam o personagem Chiquinho, que era a versão nacional de Buster Brown, criado por Richard Outcault.
Com o tempo, nasceram heróis nacionais, como Lamparina, de J. Carlos; Reco-reco, Bolão e Azeitona, de Luis de Sá; Mônica e Cebolinha, de Maurício de Souza. O Pererê, de Ziraldo, marcou a população adolescente dos anos 60.
Pelo mundo todo surgiram personagens inesquecíveis. O camundongo Mickey, criado por Walt Disney, conquistou a todos com sua simpatia. O pré-histórico Brucutu seguiu a linha dos heróis grosseiros e invencíveis.
Fantasma, Super Homem, Capitão Marvel e tantos outros firmaram definitivamente o gênero no panorama mundial.
A primeira história em quadrinhos surgiu em 1823, em Boston. Era um almanaque que, ao lado de anedotas e passatempos, incluía a novidade.
A primeira revista cômica em quadrinhos foi a Yankee Doodle, que surgiu em 1846, em Nova York.
Em 1895, o americano Outcault introduziu o uso dos balões, trazendo o diálogo para o meio do quadro.
Em 1897, surgiu a onomatopéia, ou seja, palavras e sinais representando ruídos e sons.
Foi uma idéia genial de Rudolph Dirks, criador dos Sobrinhos do Capitão.

Fonte: Planeta Educação

Nenhum comentário:

Postar um comentário